Miguel Nicolelis

TEMAS


Miguel Nicolelis



Miguel Nicolelis, médico e PhD, é professor de a cadeira “Anne W.

Deane”de Neurociência da Universidade Duke nos EUA, dos departamentos de Neurobiologia, Engenharia Biomédica e Psicologia, e é fundador do Centro de Neuroengenharia de a Universidade Duke.

Ele também é o fundador e Diretor Científico de o Instituto Internacional de Neurociência Edmond e Lily Safra em Natal, no Rio Grande do Norte.

Dr. Miguel, um dos cientistas mais reconhecidos do Brasil, tem advogado com paixão e sem reservas, o fortalecimento de a educação em ciências, tecnologia e inovação. Ele foi eleito para presidir a “Comissão do Futuro da Ciência Brasileira”.

Suas pesquisas, ganhadoras de muitos prêmios, já foram publicadas nas revistas cientificas Nature, Science e Scientific American.

Miguel foi o primeiro brasileiro a ter um artigo publicado na capa da revista Science. Seu trabalho também foi comentado nas revistas Newsweek, Time e Discover, assim como também em rede nacional e internacional de TV e outras meios de comunicação.

Embora nos últimos dez anos o Dr Miguel tenha sido reconhecido pelo seu estudo pioneiro em Interfaces Cérebro-Máquina (ICM) em primatas e pelo desenvolvimento de dispositivos neuroprostéticos para pacientes humanos , ele também desenvolveu uma abordagem integrativa no estudo de distúrbios neurológicos e psiquiátricos incluindo a doença de Parkinson, epilepsia, esquizofrenia e deficiência de atenção.

O Dr. Miguel acredita que sua técnica científica irá permitir uma integração de dados moleculares, celulares, sistêmicos e comportamentais colhidos simultaneamente em cada animal e trará um entendimento completo da natureza de alterações neurofisiológicas associadas a estes distúrbios.

O Dr Miguel também teve uma contribuição fundamental nos campos de plasticidade sensorial, gustação, sono, recompensa e aprendizado.

Hoje em dia, vários laboratórios de neurociência nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina incorporam seu paradigma experimental para estudar uma variedade de sistemas neuronais de mamíferos.

De fato, dois de seus livros de técnicas de registros com eletrodos múltiplos se tornaram os obras mais citados neste campo.

A sua pesquisa tem influenciado pesquisas básicas e aplicadas em ciência de computação , robótica e engenharia biomédica. Esta abordagem multidisciplinar em pesquisa tem se tornado amplamente reconhecida na comunidade de a neurociência.

A pesquisa do Dr. Miguel foi reconhecida na Revisão do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) das Dez Melhores Tecnologias Emergentes.

Ele foi nomeado entre os 50 líderes em tecnologia nos Estados Unidos pela revista Scientific American em 2004 e recebeu o prêmio DARPA (Agencia de Projetos de Pesquisa Avançada do Departamento de Defesa) por dois anos por “excelência em atuação”.

Outras distinções incluem Whitehead Scholar Award; Whitehall Foundation Award; McDonnell-Pew Foundation Award; uma cadeira Ramon y Cajal na Universidade do México e a de Santiago Grisolia na Cátredra Santiago Grisolia.

Em 2007, Dr. Miguel foi reconhecido e convidado para ser orador no Fórum Nobel do Instituto Karolinska na Suécia. Mais recentemente ele ganhou o Cadeira Internacional Blaise Pascal de Pesquisa (“International Blaise Pascal Research Chair”) da Fundação Ecole Normale Supérieure e em 2009 ele ganhou o prêmio Plasticidade Neuronal da Fundação IPSEN.

O Dr. Miguel é membro da Academia Francesa de Ciência e da Academia Brasileira de Ciência e é autor de mais de 160 manuscritos, editou vários livros e volumes especiais de revistas científicas, e atualmente tem três patentes nos Estados Unidos.

Em 5 de janeiro de 2011, foi nomeado pelo papa Bento XVI membro da Pontifícia Academia das Ciências Miguel Angelo Laporta Nicolelis, é um médico e cientista brasileiro.

É filho da escritora Giselda Laporta Nicolelis. Foi considerado um dos 20 maiores cientistas do mundo no começo da década passada, segundo a revista "Scientific American'.

Foi considerado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 20092.

Nicolelis é o primeiro cientista a receber da instituição americana no mesmo ano o Pioneer e o Transformative R01 e o primeiro brasileiro a ter um artigo publicado na capa da revista Science.

Lidera um grupo de pesquisadores da área de Neurociência da Universidade Duke3 (Durham, Estados Unidos), no campo de fisiologia de órgãos e sistemas, na tentativa de integrar o cérebro humano com máquinas (neuropróteses ou interfaces cérebro-máquina).

O objetivo das pesquisas é desenvolver próteses neurais para a reabilitação de pacientes que sofrem de paralisia corporal.

Nicolelis e sua equipe foram responsáveis pela descoberta de um sistema que possibilita a criação de braços robóticos controlados por meio de sinais cerebrais.

O trabalho está na lista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) sobre as tecnologias que vão mudar o mundo.

Nicolelis formou-se em Medicina na Universidade de São Paulo (USP). Na mesma instituição, cursou o doutorado em Fisiologia Geral, onde sofreu grande influência de César Timo-Iaria.

O pós-doutorado foi realizado no Hospital Universitário Hahnemann (associado ao Drexel University College of Medicine) (na Filadélfia). Professor titular de Neurobiologia e Engenharia Biomédica e co-diretor do Centro de Neuroengenharia da Duke University.

Nicolelis também concebeu e lidera o projeto do Instituto Internacional de Neurociências de Natal, na capital do Rio Grande do Norte.

Em Natal, uma das linhas de pesquisa de Nicolelis visa caracterizar a resposta tecidual ao implante dos mesmos eletrodos utilizados nas pesquisas que são desenvolvidas em seu laboratório na Universidade Duke.

Os primeiros resultados desta linha de pesquisa receberam destaque internacional ao serem divulgados na prestigiosa revista PLoS ONE, trabalho este totalmente desenvolvido no Brasil.

No dia 26 de julho de 2011 o Jornal Folha de São Paulo publicou uma matéria relatando a cisão entre Miguel Nicolelis e Sidarta Ribeiro.

Uma versão recorrente no meio acadêmico dá conta de que a saída desses professores se deu por um egocentrismo crescente por parte dos últimos, especialmente devido a críticas de Nicolelis relacionadas ao baixo impacto das pesquisas desenvolvidas por eles.

Informações obtidas com frequentadores do Instituto citam como fator desencadeador da saída de Sidarta Ribeiro, indicado por Nicolelis para ser o primeiro diretor do IINN, em 2005, um pedido para que Ribeiro deixasse de utilizar a garagem do Instituto, bem como a sala que ocupava, que deu origem a um novo laboratório do IINN-ELS.
Índice

Prêmios e Títulos

Prêmio Faz Diferença - Personalidade do Ano de 2011, Jornal OGlobo

Santiago Grisolia Chair, Catedra Santiago Grisolia and Fundacion Museo de las Ciencias Príncipe Felipe

James C. White Neurosurgery Lecture, Harvard Medical School

America s Best and Brightest, Esquire Magazine

2004 Grass Traveling Scientist Program Distinguished Lecturer, UCLA

2010 - Prêmio Pioneer do Instituto Nacional de Saúde para pesquisas pioneiras

2010 - Transformative R01 Award dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Temas de Palestras

- Saúde
- Criatividade e Inovação
- Motivação
- Recursos Humanos
- Educação / Educadores
- Liderança
- Trabalho em Equipe / Disciplina
- Empreendedorismo
- Qualidade de Vida
- Psicólogos