Tite - Seleção Brasileira

Tite - Seleção Brasileira

Tite - Seleção Brasileira

TEMAS


Tite - Seleção Brasileira



Ex-jogador de futebol, Tite virou treinador com seu jeito calmo e motivacional.

Começou a carreira de treinador no sul, mas também já passou por São Paulo, Minas Gerais e até Emirados Árabes Unidos, onde defendeu o Al-Wahda.

Tite começou sua carreira como volante no Caxias, em 1978. Em 1984 foi vendido para o Esportivo de Bento Gonçalves. Em 1985, foi para Portuguesa.

No ano seguinte, foi para o Guarani, clube onde alcançou seu auge, sendo vice-campeão no Campeonato Brasileiro de 1986 e no Campeonato Brasileiro de 1987 (Copa União), além de também ter sido vice-campeão no Campeonato Paulista de 1988.

Tite foi obrigado a encerrar prematuramente a sua carreira, com apenas 28 anos, devido a uma série de lesões nos joelhos, inclusive com ruptura de ligamento, perdendo a mobilidade de uma das pernas.

Até hoje não consegue dobrar um dos joelhos.

Recentemente fez uma declaração que surpreendeu a todos, dizendo que o time de infância foi o Internacional e o clube que ele sempre simpatizou, mesmo depois de se tornar treinador foi o Palmeiras, fato por ser um grande fã do trabalho do técnico Felipão.

Na infancia meu time de coração foi o Internacional e sempre tive um carinho especial ao Palmeiras por causa do Felipão que sempre fui fã.

Mas quando nos tornamos profissionais deixamos isso de lado e submetemos a outros amores de clubes que foi o Gremio e o Corinthians agora.

Tite tornou-se treinador em 1990, dirigindo o time do Guarany de Garibaldi. Treinou diversos times medianos gaúchos como Veranópolis (1992-1993-1994-1995-1998), ganhando a segunda divisão gaúcha em 1993. Depois, assumiu o Ypiranga de Erechim (1996), e posteriormente o Juventude (1997).

Em 2000, é contratado pelo Caxias. No Campeonato Gaúcho de 2000, faz uma campanha surpreendente, levando o clube a ser campeão sobre o Grêmio, de Ronaldinho Gaúcho e Cláudio Pitbull, sendo que até goleou a equipe de Porto Alegre por 3 a 0 na primeira partida. Na segunda partida, no Olímpico, a equipe de Caxias do Sul empata por 0 a 0, sagrando-se campeã. Com isso, Tite desperta atenção na imprensa gaúcha e nos times grandes de Porto Alegre.

Em 2001, devido ao grande sucesso no Caxias, Tite é contratado pelo Grêmio, justamente o time que havia derrotado. No Grêmio, sagra-se campeão do Campeonato Gaúcho de 2001, ficando em primeiro no octogonal da primeira fase, e derrotando o Juventude nas duas partidas finais, por 3 a 2 fora e 3 a 1 no Olímpico. Com o título, Tite se firma na equipe gaúcha.

No mesmo ano, também leva o Grêmio à conquista da Copa do Brasil, passando por Villa Nova (na 1ª Fase), Santa Cruz (na 2ª Fase), Fluminense (nas Oitavas-de-final), São Paulo (nas Quartas-de-final), Coritiba (nas Semifinais), para pegar o Corinthians, de Marcelinho Carioca e Müller nas finais. Na primeira partida, no Olímpico, empata por 2 a 2. Depois, no Morumbi lotado, vence por 3 a 1, consolidando o título, sendo o primeiro nacional de Tite. Depois, permaneceria no Grêmio até 2003.

Depois do Grêmio, dirigiu o São Caetano por dois anos (2003 e 2004).

Mais tarde naquele ano, assumiu o Corinthians e levou o time (que beirava o rebaixamento) ao quinto lugar da tabela.

No ano seguinte com a chegada do Grupo de Investimento MSI e de estrelas como o argentino Tévez, ele pediu demissão mesmo com campanha razoável no Campeonato Paulista.

O motivo de seu pedido de demissão seria a oposição a Kia Joorabchian, que não acreditava que Tite fosse o técnico ideal para a atual equipe do Corinthians e que, segundo Tite, Kia havia tentado interferir na maneira de comandar e escalar a equipe.

Fecha-se assim seu primeiro ciclo com o time, após 53 partidas no comando da equipe paulista.

Logo depois, foi contratado pelo Atlético Mineiro para a disputa do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2005.

Estreou bem, vencendo em casa o Figueirense com uma goleada de 4x1.

Mas, infelizmente, com uma equipe fraca, cujos maiores jogadores eram Rodrigo Fabri e Marques, o Galo acabou rebaixado após 13 vitórias, 8 empates e 21 derrotas.

Os 47 pontos conquistados prejudicaram o time, que ficou na 20° posição atrás do C

oritiba, que possuía 49 pontos e um 19° lugar também responsável pelo descenço do time mineiro. Tite foi demitido em agosto e seus sucessores não conseguiram melhorar o empenho do time mineiro.

Depois, assumiu o Palmeiras. Pegando o time na zona do rebaixamento, usou o período de intervalo da Copa do Mundo de 2006 para impor a sua filosofia no time e com uma recuperação fantástica começou o período pós-copa com 7 vitórias, 5 empates e 1 derrota.

Mas após desavenças com Salvador Hugo Palaia, dirigente do clube, Tite foi hostilizado pela torcida e acabou sendo demitido.

No fim de 2007 foi contratado pelo Al Ain dos Emirados Árabes, mas ao fim de seis meses no comando da equipe foi demitido por não concordar com o pedido dos dirigentes para relacionar um jogador da seleção do país. Tite comandou a equipe em 25 jogos, vencendo 13, empatando seis e perdendo outras seis.
Internacional

No dia 12 de junho de 2008, a direção do Internacional anunciou a contratação de Tite para o comando do clube. A contratação de Tite foi contestada por grande parte da torcida colorada, devido ao sucesso dele no Grêmio, arquirrival do Inter.

Desde então Tite levou o time ao 6º lugar no Brasileirão de 2008 e conquistou a Copa Sul-americana de 2008, sobre o Estudiantes de La Plata, com gol de Nilmar nos últimos minutos da prorrogação.

Na Sul-Americana, antes do Estudiantes, o Inter havia desclassificado o Grêmio (na Primeira Fase), o Universidad Católica (nas Oitavas), o Boca Juniors (nas Quartas) e o Chivas Guadalajara (nas Semifinais).

Ainda conquistou o Campeonato Gaúcho de 2009, sobre o Grêmio, além de ter feito uma boa campanha na Copa do Brasil de 2009, perdendo na final para o Corinthians de Ronaldo Fenômeno, Dentinho e André Santos, e deixando para trás equipes como Flamengo e Coritiba.

Além disso, foi vice da Recopa Sul-Americana de 2009, perdendo para a LDU de Quito. No mesmo ano, foi campeão da Copa Suruga Bank, disputada no Japão, sobre o Oita Trinita.

No Brasileirão de 2009, teve um bom início, ficando em primeiro lugar no primeiro turno. Depois, no segundo turno, colecionou uma série de maus resultados contra equipes de pequeno porte e grande oscilação.

Devido ao baixo rendimento refletido em maus resultados dentro e fora do Beira-Rio, no dia 5 de outubro de 2009 o Internacional rescindiu o contrato com Tite.

Em 31 de agosto de 2010, Tite foi anunciado como novo técnico do Al-Wahda, dos Emirados Árabes.

Com a demissão do técnico Adílson Batista, do Corinthians, Tite acertou o seu contrato com o clube paulista em 15 de outubro de 2010.

Para assumir a equipe, precisou ser liberado pelo Sheik dono do Al-Wahda, clube que comandou por apenas 4 partidas. Três dias depois foi anunciado que Tite foi liberado, sendo o novo técnico do Corinthians.

Tite volta ao Corinthians, em 2010, faltando oito partidas para o fim do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2010, com a missão de reerguer a equipe, que lutava pelo título e passava por um momento difícil, com quase dez partidas sem vencer, o que tinha culminado com a demissão de seu antecessor Adilson Batista.

Logo em sua estreia, Tite derrota o rival Palmeiras por 1 a 0, com gol de Bruno César.

Embora não tenha conquistado o Campeonato Brasileiro de Futebol de 2010 pelo Corinthians, teve um ótimo desempenho em suas 8 partidas ao final do torneio, com 5 vitórias, 3 empates e nenhuma derrota.

Nestas partidas, a equipe marcou 13 gols e sofreu apenas 3 gols.

A equipe termina na terceira colocação, conquistando vaga para a Pré-libertadores e Tite se firma, renovando para 2011.

Estreando no Paulistão 2011 em 16 de janeiro de 2011, o time venceu a Portuguesa por 2 a 0.

A equipe se preparava para as decisivas partidas contra o Deportes Tolima, da Colômbia, pela Pré-libertadores.

A primeira, no Pacaembu, terminou empatada por 0 a 0, já gerando desconfianças pela torcida.

Na partida de volta, no Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, o time joga muito mal, finalizando poucas vezes e acaba derrotado por 2 a 0.

A desclassificação prematura da equipe gerou fúria da torcida e uma série de protestos, e a demissão de Tite, que foi muito criticado por escalar três volantes e três atacantes, ficando sem um jogador de armação, era vista como certa.

Entretanto, no dia seguinte, o então presidente do clube, Andrés Sanchez, confirma a permanência de Tite no comando da equipe.

Dias depois, Ronaldo Fenômeno anunciava a sua aposentadoria, Roberto Carlos e Jucilei saiam para o Anzhi Makhachkala, da Rússia e Bruno César fechava com o Benfica (apesar de ir embora após o término do Paulistão).

A equipe, que já estava sem Elias, negociado no final de 2010, ficava ainda mais desfigurada. Além disso, Dentinho seria negociado com o Shakhtar Donetsk.

Portanto, cabia a Tite espantar o péssimo momento da equipe e promover uma renovação no elenco alvinegro. Para isso, contou com a volta de Liedson para o alvinegro.

Logo após a desclassificação do Corinthians, o próximo adversário da equipe era o rival Palmeiras, pelo Paulistão. Caso perdesse, a demissão de Tite era certeza.

Entretanto, a equipe vence por 1 a 0, com gol de Alessandro e Tite ganha tranquilidade.

Depois disso, o time dá a volta por cima e embala uma série de bons resultados no campeonato, como a vitória por 3 a 1 sobre o Santos.

O time se classifica para a fase final do torneio, e despacha Oeste (nas Quartas), Palmeiras (nas Semifinais, em disputa por pênaltis) e vai à final contra o Santos.

Empata a primeira partida em casa por 0 a 0 e perde na Vila Belmiro por 2 a 1, ficando com o vice-campeonato.

Com a perda do Paulistão, inicia-se o planejamento para o Campeonato Brasileiro de 2011.

Logo nas dez primeiras partidas da competição, a equipe tem um início excelente, embalando nove vitórias e um empate, consolidando-se como líder isolada da competição.

Após essa espetacular sequência, o time sofre duas derrotas conscutivas, para Cruzeiro, em casa, e Avaí, fora. Depois, volta a vencer, batendo o América-MG.

Logo após, empata com Atlético-PR e Ceará, e vence o Atlético-MG. Depois, a equipe volta a ter uma ceta instabilidade novamente com duas derrotas consecutivas, para Figueirense e Palmeiras, fechando o primeiro turno, ficando na primeira colocação.

No segundo turno, começa vencendo o Grêmio e perdendo para o Coritiba. Na vigésima segunda rodada, vence o Flamengo.

Depois do Flamengo, perde para Fluminense e Santos, sendo a última de virada em pleno Pacaembu. A equipe cai na tabela e Tite se vê muito ameaçado novamente, a maior crise após o Tolima.

A torcida volta a pedir a sua saída, e Andrés Sanchez novamente banca o treinador. Entretanto, vai ainda ameaçado para o clássico contra o São Paulo no Morumbi, e promove alterações na zaga, tirando o capitão Chicão. Neste clássico, o time empata por 0 a 0 e Tite se mantém na equipe.

Depois, embala uma série de bons resultados, sendo um desses um importante empate contra o Vasco, em São Januário, por 2 a 2, e voltaria a perder só na vigésima nona rodada, para o Botafogo (concorrente direto) e na trigésima terceira, para o América-MG. Durante a maior parte do torneio a equipe disputou a primeira colocação com o Vasco da Gama, com ambas equipes revezando tal colocação.

Após a derrota para o América-MG, até então o último colocado do campeonato, apesar de sua equipe não perder a liderança, Tite novamente é contestado pela torcida, faltando apenas cinco partidas para o fim do torneio e a equipe líder. Entretanto, sua demissão passou longe de ocorrer.

Depois, a equipe vence quatro partidas consecutivas, contra Atlético-PR, Ceará (com gol de Ramírez no final), Atlético-MG (2 a 1, de virada, com gols de Liédson e Adriano, seu primeiro com a camisa corintiana) e Figueirense (com gol de Liédson).

Nesta partida, a equipe chegou a ser campeã nacional por alguns minutos, já que o Vasco apenas empatava com o Fluminense.

Entretanto, aos 45', o Vasco faz o segundo gol, vencendo a partida, "tirando" o título do Corinthians.

Com isso, o Corinthians foi para a última rodada, contra o Palmeiras, com 70 pontos e o Vasco com 68.

O Corinthians só não seria campeão caso fosse derrotado e o Vasco vencesse o Flamengo, no Engenhão. Nesta rodada, o Corinthians empatou por 0 a 0 e o Vasco por 1 a 1.

Com isso, o Corinthians sagrava-se penta campeão brasileiro, e Tite ganhava o seu primeiro Campeonato Brasileiro, seu segundo torneio nacional.

Tite foi muito elogiado pela imprensa nacional por suas alterações decisivas nas últimas partidas, como as entradas de Ramírez e Adriano, que culminaram com os gols das vitórias contra Ceará e Atlético-MG, respectivamente.

Além disso, foi muito lembrado ter Tite promovido duas grandes reformulações no elenco durante 2011: após a desclassificação para o Deportes Tolima, conseguindo ótima campanha no Paulistão, e após a perda do Campeonato Paulista para o Santos, montando um grupo competitivo para o Brasileirão.

Também foi lembrada a persistência dele ao resistir durante os momentos de oscilação sofridos pela equipe ao longo do torneio.

O primeiro jogo da equipe pela Taça Libertadores da América, foi contra o Deportivo Táchira da Venezuela, que acabou empatado em 1 a 1, com o gol corintiano sendo marcado no último minuto por Ralf.

Contra o Nacional do Paraguai, no Pacaembu, venceu por 2 a 0, conseguindo quatro pontos na classificação.

No terceiro jogo, o Corinthians foi até o México onde enfrentou o Cruz Azul e empatou em 0 a 0, num jogo parelho, conseguindo cinco pontos e encerrando o primeiro turno da segunda fase do torneio.

No primeiro jogo do segundo turno, o Corinthians enfrentou o Cruz Azul em São Paulo, vencendo por 1 a 0 depois de uma grande apresentação e assumindo a liderança do grupo 6, com 8 pontos.

No dia 11 de abril, a equipe foi ao Paraguai, onde derrotou novamente o Nacional, por 3 a 1, chegando a 11 pontos no Grupo 6.

No dia 18 de abril o Corinthians enfrentou novamente o Deportivo Táchira da Venezuela no Pacaembu, sendo a última partida do 2° turno. O Alvinegro do Parque São Jorge venceu o jogo e aplicou uma impiedosa goleada de 6x0. os gols foram marcados por Danilo, Paulinho, Jorge Henrique, Emerson, Liédson e Douglas. Assim, o Timão encerrou o Grupo 6 como 1° colocado [10] atingindo 14 pontos e avançando às oitavas de final da competição.

Nas oitavas de final, o Corinthians superou o Emelec do Equador, classificando-se com um empate em 0 a 0 no Equador e uma vitória em casa por 3 a 0 indo às quartas de final da competição. Nas Quartas de Final o Corinthians jogou contra o Vasco, empatando novamente em 0 a 0 fora de casa, em São Januário e vencendo no Pacaembu por 1 a 0 com um gol consagrador de Paulinho, nos minutos finais e avançando as semifinais da competição.

No primeiro jogo das semifinais, derrotou o Santos por 1 a 0 com gol de Emerson Sheik, na Vila Belmiro. No segundo jogo o Santos saiu na frente com um gol de Neymar, mas o Corinthians empatou com gol Danilo que garantiu a classificação na final.

O clube chegou pela primeira vez a final de uma Libertadores e enfrentou como adversário o tradicional Boca Juniors da Argentina. O primeiro jogo foi dia 27 de junho no estádio La Bombonera e terminou com o placar de 1 a 1. O Boca Juniors saiu na frente, mas o Corinthians empatou com um gol de Romarinho. A segunda partida foi realizada no dia 4 de julho no Pacaembu. O Corinthians ganhou o jogo por 2 a 0, com dois gols de Emerson Sheik, garantindo o título de Campeão da Copa Libertadores da América pela primeira vez na história do clube e de maneira invicta.

Com o título, Tite torna-se o único treinador brasileiro a ter conquistado os dois torneios mais importantes da América: a Copa Sul-Americana e a Libertadores. Tite foi novamente muito elogiado por ter implantado um padrão tático muito consistente na equipe, sendo considerado um dos principais fatores para a conquista corintiana.

Tite ainda foi eleito o melhor técnico da Copa Libertadores da América de 2012.

A 16 de dezembro de 2012, Tite consagrou-se campeão mundial com o Corinthians Paulista após vencer por 1 a 0 o Chelsea no Japão. Em um jogo muito marcado, o técnico Tite se tornou o mais vitorioso entre 2011 e 2012 e o único da história do Corinthians a ganhar o mundial e a inédita Libertadores da história do clube na mesma temporada.

Em 2016 levou a equipe até as semifinais do Campeonato Paulista sendo derrotado pelo Audax nas penalidades.

Também foi eliminado pelo Nacional nas oitavas de final da Copa Libetadores.

No Campeonato Brasileiro de 2016 comandou a equipe até a sétima rodada, quando esta foi derrotada pelo Palmeiras por 0–1, resultado que deixou o clube na quarta posição na tabela.

Em 15 de junho, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, divulgou em entrevista coletiva que Tite não seria mais treinador do clube a partir de então devido a convite feito pela Confederação Brasileira de Futebol para assumir o comando técnico da Seleção Brasileira, e manifestou seu inconformismo por não ter sido comunicado pela entidade deste convite.

Após a eliminação da Seleção Brasileira, ainda na primeira fase, da Copa América Centenário, o treinador Dunga foi demitido em 14 de junho.

No mesmo dia, à noite, Tite participou de reunião com dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol para negociar sua contratação para o cargo.

No dia 20 de junho, foi confirmado sua contratação para ser o treinador da Seleção. Fez uma campanha praticamente perfeita, tendo uma longa série de vitórias consecutivas, reerguendo a moral da Seleção, que vinha abalada pelas eliminações na FIFA World Cup 2014 e a já citada Copa América Centenário.

No dia 28 de Março após a Seleção Brasileira vencer o Paraguai por 3 x0 na Arena Corinthians classificou a seleção de forma antecipada para a Copa do Mundo de 2018 que será realizada na Russia, que iniciará a competição como uma das seleções favoritas.

Temas de Palestras

- Esportes
- Liderança
- Motivação
- Superação de Desafios / Mudanças
- Trabalho em Equipe / Disciplina