Marcos Nascimento

Marcos Nascimento

Marcos Nascimento

TEMAS


Marcos Nascimento



Com mais de 20 anos de experiência na área, Marcos Nascimento terá como desafio primordial manter o RH como um importante parceiro do negócio, agregando valor e melhorando o modelo, com base no profundo conhecimento proveniente da gestão de pessoas. "Vamos interagir com todos os líderes para intensificar esse apoio à empresa e contribuir para seu crescimento", afirma o diretor, bastante entusiasmado com o novo cargo.

Formado em Orientação Educacional e Tecnologia de Sistemas, Marcos Nascimento possui pós-graduação em RH e MBA pela Fundação Dom Cabral e Kellog School of Management. Especializou-se na gestão de pessoas e negócios em escolas como FGV-SP, London Business School e Columbia Business School. Ocupou posições executivas em empresas como a Sandoz (Novartis), Pfizer, Ache, PricewaterhouseCoopers e Accenture.

Foi premiado como Destaque RH 2002 pela Revista Gestão Plus/RH em Síntese e citado como The Best of America, pela Revista Latin Trade, também em 2002. Nascimento integra, ainda, a diretoria nacional da ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos) e atua como professor dos cursos de pós-graduação da FAAP.

Segue exercendo sua busca pelas modernas práticas de liderança e gestão de pessoas através de sua atual posição executiva além de sua atuação como professor dos cursos de MBA da FIA-USP.

Temas de Palestras

As atuações tem dois formatos básicos: "provocações" ou palestras, cujo conteúdo (construído em conjunto com o cliente) é abordado e discutido em média de 90 a 100 minutos, com opção de debate, sempre com base na apresentação de imagens (filmes, charts e charges), e fundamentadas em dados e pesquisas, que permitam provocações e alguma "acidez" nas colocações, para que o público seja impactado e pense em mudança de comportamentos.

O segundo formato constitui programas de desenvolvimento, adaptados à dinâmica do cliente e usualmente são abordados e discutidos em média de 16 a 24 horas (dois a três dias). A idéia central não é mostrar uma "sombra", mas focar na luz que pode sobrepor-se à ela. É "positivar" uma situação crítica sobre as necessidades dos processos e modelos de liderança vivenciados pelo público. O objetivo é que o público saia "maravilhado" ou incomodado, mas jamais da mesma forma que estava antes de assistir à palestra ou participar do programa.

Palestras
O tema central das palestras é o processo de gestão de pessoas talentosas e, invariavelmente, difíceis em seu relacionamento interpessoal, seja com pares, seja com subordinados, seja consigo mesmo.
Neste sentido, os temas propostos levam em consideração um apelo e
provocação em seu título (na maioria ligados a artigos de minha autoria, já escritos e publicados em veículos nacionais e internacionais) com o objetivo de gerar curiosidade já na sua propagação.

Alguns temas/títulos abordados nas palestras:

* Comunicando-se com os talentos: meio ou atitude?
* Parcerias de RH: com quem devemos dar as mãos?
* A elegância do acrobata X a agilidade do malabarista!
* Liderança: sofrimento ou virtude?
* Resultados incomuns com pessoas comuns!
* Gestão de pessoas difíceis...porém talentosas: qual o segredo?
* O pastoreio e o cuidado com as ovelhas!
* Puros-sangues: gerindo o equilíbrio entre potência e controle!
* Qualidade de Vida

As apresentações têm em média 75 minutos, com opção de debate (dependendo do escopo, da empresa e do público) e elaboradas sempre com base na apresentação de imagens (filmes, charts e charges), frases provocativas e dados de pesquisa que permitem provocações e alguma "acidez" nas colocações, para que jamais o público saia da mesma forma que entrou!

A idéia central é mostrar uma "sombra", porém focar na luz que pode sobrepor-se à ela. É "positivar" uma situação crítica e vivenciada pelo público.

Que saia maravilhado ou incomodado, ou até mesmo irritado, mas jamais da mesma forma que estava antes de assistir a palestra.