Caio Henri - Gastronomia

TEMAS


Caio Henri - Gastronomia



Caio Henri foi um garoto curioso, participativo e interessado em comida desde cedo. Comapenas oito anos de idade, já ficava de olho nos movimentos da mãe, que preparava feijão-de-corda, galinha de cabidela, doce de jambo e outras delícias da culinária pernambucana. Aos catorze, trocou Recife por São Paulo, onde suas aventuras na cozinha começaram com uma bela prova de fogo: Caio foi ser cozinheiro na Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem), onde era responsável pela alimentação de 270 internos. Já naquela época, viu despertar em si um grande cuidado com a apresentação da comida, que se tornaria uma de suas marcas pessoais. "Tínhamos insumos e recursos muito limitados, mas eu era caprichoso, montava os legumes em forma de flores, dava o meu jeitinho", lembra.

Depois de vencer o seu primeiro desafio, Caio foi estudar gastronomia. A partir daí, ganhou o mundo: trabalhou em alguns restaurantes no Pará, foi escolhido como cozinheiro de um grupo de consultores de uma multinacional, e passou três anos viajando com eles por diversos países da Europa. Quando voltou ao Brasil, pilotou caçarolas em restaurantes em Belém, Rio de Janeiro e Goiânia, trabalhando com chefs como Carla Pernambuco e Checho González, duas de suas maiores influências. Em 2004, foi escalado para assumir a cozinha do Palácio do Planalto em Brasília, posto que ocupou por três anos, supervisionando a preparação de 5 mil refeições por dia. Depois, voltou a Goiânia, onde abriu seu primeiro restaurante, o Bistrô Henri.

De volta à cidade onde começou a cozinhar, São Paulo, Caio está à frente do Las Favas Contadas, restaurante que abriu com o parceiro José Henrique Manzatto, no charmoso bairro da Vila Madalena. Na casa nova, ele propõe "uma comida viajada e cheia de truques, a um preço justo". Ele continua sendo o mesmo chef detalhista e preocupado com a apresentação dos pratos. "É preciso surpreender o cliente desde o seu primeiro contato, que é visual", acredita. "Quero despertar a curiosidade, o tesão por novas experiências". Entre as opções do menu, Caio destaca o duo de linguado e camarão com julienne thai de legumes e maçãs e purê de mandioquinha. "Esse prato revela vários sabores já na primeira garfada".

Mesmo quando está fora da cozinha, Caio Henri não tira a comida da cabeça. Ocupa seu tempo livre prestigiando restaurantes como Ají, Carlota, Tordesilhas, Ruella e LEntrecôte de Ma Tante. E está sempre atento, pesquisando novos temperos ou testando mudanças em suas receitas. "Cozinhar é a minha vida, eu penso nisso o tempo todo", revela. "Sinto emoção, carinho, amor e respeito quando cozinho. Isso está na minha alma".

Temas de Palestras:

-Gastronomia
-Empreendedorismo
-Motivação
-Liderança
-Trabalho em Equipe

AT 10-08