Cristovam Buarque

Cristovam Buarque

Cristovam Buarque

TEMAS


Cristovam Buarque



Graduado em engenharia pela Universidade Federal de Pernambuco em 1966, envolveu se na mesma epoca com a politica estudantil, tendo sido militante da Ação Popular, um grupo ligado à Igreja Progressista de Esquerda.

Após o golpe militar de 1964, devido às perseguições da ditadura, seguiu para um autoexílio na França, onde obteve o doutorado em Economia pela Universidade Panthéon Sorbonne (Paris), em 1973.

Trabalhou no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) entre 1973 e 1979, tendo ocupado postos no Equador, em Honduras e nos Estados Unidos.

Mudou-se para Brasília em março de 1979, e desde então é professor da Universidade de Brasília (UnB). Em novembro de 2012 recebeu o título de Professor emérito da UnB.

Foi reitor da Universidade de Brasília (tendo sido o primeiro por eleição direta, após a ditadura militar), governador do Distrito Federal, ministro da Educação e foi eleito senador em 2002 com 674.086 votos (30% dos válidos). Foi reeleito para o Senado em 2010, com 833.480 votos, (37,7% dos votos válidos), juntamente com Rodrigo Rollemberg.

Candidatou se à Presidência da República em 2006, com uma proposta concreta para mudar a nação e promover a inclusão social: uma revolução pela educação e recebeu 2,6 milhões de votos.

Foi consultor de diversos organismos nacionais e internacionais no âmbito da ONU. Presidiu o Conselho da Universidade para a Paz da ONU e participou da Comissão Presidencial para a Alimentação, dirigida por sociólogo Herbert de Souza. É membro do Instituto da Unesco de Aprendizagem ao Longo da Vida.

Atualmente também é Membro do Conselho Consultivo do Relatório de Desenvolvimento Humano (PNUD), Vice Presidente do Conselho da Universidade das Nações Unidas (UNU), Membro da Academia Real de Ciências Letras e Belas Artes da Bélgica e Membro Conselheiro do Clube de Roma.

Criou em dezembro de 1998 a ONG Missão Criança, que patrocinava um programa de bolsa escola para mais de mil famílias, com recursos oriundos da iniciativa privada. Presidiu a Missão Criança até dezembro de 2002.

A entidade foi eleita, em julho de 2007, uma das 100 mais importantes ONGs do mundo pelo Business Guide to Partnering with NGOs and the United Nations.

Escreveu um artigo intitulado A internacionalização do mundo após um debate ocorrido em Nova York, nas salas de convenções do Hotel Hilton, durante o encontro do State of the World Forum, em setembro de 2000. O artigo foi publicado no Jornal O Globo em 23/10/200, e rapidamente passou a ser disseminado espontaneamente por internautas. Ganhou traduções em vários idiomas, e tornou se um dos primeiros virais da história da Internet. Foi reproduzido no livro 100 Discursos Históricos Brasileiros, de Carlos Figueiredo (Belo Horizonte: Editora Leitura, 2003).

Entre os 612 parlamentares do Congresso Nacional, tem sido incluído pelo DIAP Departamento Intersindical de Atuação Parlamentar entre os Cem Cabeças do Congresso, todos os anos, desde 2004, ano em que assumiu seu mandato no Senado. Recebeu ainda do DIAP menção como referência no tema Educação em todos os prêmios de 2007 a 2013. Além disso, em eleição coordenada pela revista Congresso em Foco, uma escolha inicialmente promovida entre de jornalistas e depois por internautas, foi premiado em seis edições do prêmio.

Foi eleito melhor senador nos anos de 2007, 2009, 2010, 2011 e 2013. Recebeu ainda três prêmios especiais: em 2011 foi eleito o parlamentar que mais se destaca na defesa da Democracia. Em 2012, foi premiado pela defesa da Inovação Tecnológica. Em 2013, recebeu o prêmio de parlamentar que mais se destaca na defesa da Educação. Foi escolhido Personalidade Educacional de 2008, pelo jornal carioca Folha Dirigida.

Foi também agraciado, em dezembro de 2012, com o Prêmio Milton Santos de Educação Superior na categoria gestão desempenho político, organizado pela ABMES – Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior. Recebeu ainda o Prêmio do Mérito Legislador do IDELB, concedido pelo IDELB Instituto de Estudos Legislativos Brasileiro e pelo ILB Instituto Legislativo Brasileiro em 2008.

Vem há anos defendendo que a única forma de garantir que o Brasil se desenvolva social, econômica e tecnologicamente, fazendo frente aos desafios do século XXI, é pela educação, gratuita e de boa qualidade, para todas as crianças, independentemente de classe social, renda familiar ou do município em que vivam. A intenção de promover uma revolução pela educação é uma ideia que segue a linha de pensamento de importantes intelectuais brasileiros, como Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro, Paulo Freire e Leonel Brizola.

Temas das Palestras

- Economia - cenário nacional e internacional
- Educação no Brasil
- Moderador de Debates
- Política

AT 10-08