Tony Ramos

TEMAS


Tony Ramos



Tony Ramos (nome artístico de Antônio de Carvalho Barbosa; Arapongas, 25 de agosto de 1948) é um ator brasileiro.

É um dos mais importantes atores nacionais, destacando-se por seu trabalho em telenovelas.

O nome americanizado, Tony, era um costume da época em que estreou na carreira artística, e Ramos o sobrenome de um parente.

Através do personagem Márcio Ayala, de O Astro, Tony protagonizou o primeiro nu masculino em telenovelas brasileiras, apesar da censura existente no regime militar da época.

Aos catorze anos, fez sua estréia na televisão, atuando em esquetes no programa Novos em Foco, na TV Tupi.

Ainda nessa emissora, fez sua primeira telenovela, A Outra, de Walter George Durst.

Aos dezesseis anos, participou da dupla musical Tony e Tom & Jerry, que chegou a se apresentar no programa Jovem Guarda. Em 1977, após atuar em várias telenovelas na Tupi, transferiu-se para a Rede Globo, em que consolidou uma carreira de sucesso, tendo estreado em Espelho Mágico. Passou, então, a morar no Rio de Janeiro.

Em 1998, Tony conquistou o prêmio de melhor ator do ano em televisão da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e da TV Press - este numa eleição realizada entre oitenta editores de cadernos de TV no país -, por sua atuação como Clementino, de Torre de Babel, personagem bastante polêmico, que iniciou a história preso, por ter assassinado a mulher ao descobrir que ela o traía, e depois regenerou-se ao lado de um novo amor.

Além disso, pelo mesmo papel, foi eleito o melhor ator de 1998, segundo a pesquisa InformEstado.

Na Rede Globo, o ator também participou do programa A Comédia da Vida Privada e apresentou o Você Decide.

Além das telenovelas, Tony atuou em mais de oitenta teleteatros e mais de vinte peças, destacando-se Quando as Máquinas Param (1970), de Plínio Marcos; Cenas de um Casamento (1997), de Ingmar Bergman, em que contracenou com Regina Braga; o musical Meu Refrão Olê Olá, baseado na obra de Chico Buarque, em que interpretou o travesti Geni.

No cinema, dentre outras produções, atuou em Pequeno Dicionário Amoroso (1997), de Sandra Werneck, e Bufo & Spallanzani (2000), dirigido por Flávio Tambellini. Conquistou o prêmio de melhor ator no Festival de Gramado justamente por esse último trabalho.

Em 2001, voltou a ser eleito o melhor ator do ano em televisão pela APCA, dessa vez por seu trabalho em As Filhas da Mãe.

Tony Ramos é considerado por seus colegas de profissão como uma pessoa íntegra e bem-humorada. Além disso, tem um dos casamentos mais estáveis do meio artístico.

Temas Palestras:

- Responsabilidade Social
- Presença Vip
- Celebridades / Atores

 

 


AT 08-09