Marcos Azambuja

TEMAS


Marcos Azambuja



Marcos Castrioto de Azambuja GCIH, nasceu no Rio de Janeiro e foi embaixador do Brasil na França e na Argentina.

Secretário-Geral do Itamaraty, Coordenador da Conferência Rio 92 e Chefe da Delegação do Brasil para Assuntos de Desarmamento e Direitos Humanos, em Genebra.

Foi Vice-presidente do Centro Brasileiro de Relações Internacionais - CEBRI, Membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do Conselho Curador do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Membro do Conselho IPHAN e do Grupo de Análise de Conjuntura Internacional da Universidade de São Paulo.

Diplomata de carreira, ingressou no Instituto Rio Branco (IRBr), alcançando o posto inicial da carreira, terceiro secretário.

Trabalhou na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque, EUA, onde participou da XV e XVII, sessões da Assembléia Geral da instituição. Ainda neste organismo, foi representante no Comitê Científico sobre Efeitos de Radiações Atômicas.

Foi promovido a segundo secretário, transferindo-se para o México, onde permaneceu por três anos e atuou, inclusive, como membro da Comissão Preparatória para Desnuclearização da América Latina.

Alcançou o posto de primeiro secretário e retornou ao Brasil.

Foi assistente do Secretário-Geral para Organismos Internacionais e membro da XXI e XXII Assembléia Geral da ONU.

Lotado no Brasil,  participou de diversas conferências e seminários, como a Conferência dos Países Militarmente Não-Nucleares, em Genebra, Suíça e no Seminário da ONU sobre Direitos Humanos, em Nicósia, Chipre.

Foi transferido para Londres, onde trabalhou por três anos.

Após este período, seguiu para Buenos Aires,  alcançando aí, o posto de conselheiro.

Nesta função, atuou, como delegado na Conferência Plenipotenciária Sul-Americana sobre Entorpecentes.

Participou de várias conferências em instituições militares, como a  Escola Superior de Guerra (ESG) e em escolas superiores das três armas, além da Escola Nacional de Informação.

Foi observador na Conferência de Chanceleres dos Países Não-Alinhados, em Lima, Peru, e chefe da Conferência Regioinal Latino-Americana Preparatória de Habitat, na Conferência da ONU sobre Estabelecimentos Humanos, em Caracas, Venezuela.

Foi membro da XXXII Seção da Comissão de Direitos Humanos, em Genebra, na Suíça, e observador na Conferência de Cúpula dos Países Não-Alinhados, em Colombo, Sri Lanka.

Foi promovido a ministro de primeira classe.

No final da década de 1970, o governo do general João Batista Figueiredo desenvolvia uma política de maior aproximação do Brasil com os países do chamado Terceiro Mundo.

Participou da I Reunião da Comissão Mista Brasil-Iraque, em Bagdá, da I Reunião da Comissão Mista Brasil-Arábia Saudita, em Jedá, e foi observador na Conferência da Cúpula dos Países Não-Alinhados, em Cuba.

Participou da I Reunião da Comissão Mista Brasil-República Popular da China e foi delegado da I Reunião da Comissão Mista Brasil-Nigéria, na capital deste último, Lagos.

Foi membro da I Reunião da Comissão Mista de Coordenação Brasil-Nigéria. Participou ainda das atividades relacionadas ao XIII Aniversário da Revolução de 17 de Julho, que ocorrera na capital do Iraque, Bagdá, e como chefe da III Reunião da Comissão Mista Brasil-Líbia, em Trípoli.

Foi delegado na III Reunião da Comissão Mista Permanente Brasil-Moçambique para a Cooperação Econômica, Técnica e Científica, em Maputo, capital deste último.

Chefiou a II Reunião de Trabalho Brasil-Estados Unidos da América sobre Cooperação Espacial, em Washington, e a II Reunião Consultiva do Tratado da Antártica, em Camberra, Austrália.

Chefe da representação brasileira para assuntos de desarmamento, com sede em Genebra, Suíça.

Nomeado embaixador em Buenos Aires, Argentina, sucedendo a Francisco Thompson Flores.

Assumiu em seguida a embaixada do Brasil na França em substituição a Carlos Alberto Leite Barbosa.  

Secretário da Comissão Nacional para Assuntos Antárticos (CONTAR), integrou também, entre outras atividades, a Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), a Comissão Brasileira de Atividades Espaciais (COBAE), o Conselho da Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) e o Conselho Federal de Entorpecentes (CONFEN).

Autor de livros, artigos e ativo palestrante sobre temas relativos a relações internacionais nos campos do desarmamento, desenvolvimento sustentável, integração regional, direitos humanos, Antártica e política espacial.

Temas de Palestras:

- Contexto e perspectivas para a América Latina
- Negociação
- Desarmamento
- Desenvolvimento Sustentável
- Direitor Humanos
- O Brasil e os Vizinhos Latinos
- Relações Internacionais
- Sustentabilidade / Meio Ambiente
- Direitos Humano
- Política Espacial
- Política
- Economia Cenário Nacional e Internacional
- Geopolítica Mundial
- As Eleições Americanas, BREXIT e as Migrações

- Tipos de Trabalho:

- Moderador de Debates






 

 

AT 06-09