Jade Barbosa

TEMAS


Jade Barbosa



Jade Barbosa, ginasta que compete em provas de ginástica artística. Jade Barbosa é integrante da Seleção Brasileira Permanente de Ginástica Artística Feminina e fez parte da equipe nacional que conquistou a inédita oitava colocação nos Jogos Olímpicos de 2008.

Pertence também a atleta a primeira medalha na disputa do concurso geral em um Campeonato Mundial e a melhor classificação individual geral em uma edição olímpica.

Jade Barbosa iniciou-se na carreira de ginasta ainda menina. Aos nove anos sua mãe morreu vitimada por um aneurisma. Dois anos mais tarde, a ginasta participou de seus primeiros Jogos da Juventude, na categoria infantil, nos quais não conquistou medalhas. Em 2003, foi a campeã do individual geral e de todos os aparelhos disputados no Campeonato Nacional Brasileiro da categoria infantil.

No ano seguinte, no Campeonato Pan-Americano Juvenil, disputado em El Salvador, foi a medalhista de ouro no solo, de prata no salto e de bronze por equipes. Em 2005, agora na categoria sênior, a atleta conquistou a prata no salto e no concurso geral do Campeonato Brasileiro. No Pré Pan, substituindo Daiane dos Santos, competiu pela primeira vez pela seleção brasileira. No individual geral, foi 11ª colocada entre os atletas do continente. Por equipes, saiu-se vice-campeã e classificada a competir o Pan-americano.

No ano seguinte, foi campeã no solo e no salto e vice-campeã na trave, do Campeonato Nacional, realizado na cidade de Goiânia. Em São Paulo, com idade para competir no Juvenil, conquistou o ouro do concurso geral e das barras assimétricas.

Em 2007, pouco antes de completar dezesseis anos, Jade Barbosa pôde competir pela primeira vez, internacionalmente e na categoria sênior, na Copa do Mundo.

Disputou as etapas de Paris, na França, e Cottbus, na Alemanha. Na primeira, com a quarta e a sétima colocações no salto e nas paralelas assimétricas, Jade não subiu ao pódio. Na segunda, presente em três finais, conquistou a prata no salto. Em julho, aos dezesseis anos, Barbosa disputou os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro.

Nesta edição, saiu-se vencedora na prova do salto, após mais de quinze anos da conquista de Luisa Parente. No solo, superada pelas norte-americanas Rebecca Bross e Shawn Johnson, foi a medalhista de bronze. No concurso geral, falhas em suas rotinas a deixaram fora do pódio. Coletivamente, conquistou a prata.

Meses à frente, em nova estreia, no Mundial de Stuttgart, Jade Barbosa conquistou o inédito pódio do individual geral, para a ginástica do Brasil.

No ano seguinte, competindo em sua primeira edição olímpica, a atleta atingiu posições inéditas a ginástica brasileira. Nos Jogos de Pequim, Barbosa classificou-se para três finais. Por equipes, o Brasil disputou pela primeira vez uma final, na qual encerrou na oitava posição.

Individualmente, Barbosa atingiu a melhor colocação nacional até então: o décimo lugar. Nos aparelhos, disputou o salto sobre a mesa, no qual caiu em suas duas aterrissagens atingiu a sétima posição Após o término das Olimpíadas a ginasta fora diagnosticada com uma lesão grave no pulso que poderia interromper sua carreira.

Afastada das competições, anunciou a volta às disputas para o Campeonato Brasileiro de 2009. No evento, classificou-se para três finais por aparelhos: trave, salto sobre a mesa e solo. No solo, pontuou 13,550; e terminou com a primeira colocação, superando Ethiene Franco e Priscila Cobello, prata e bronze, respectivamente.

Abrindo o calendário competitivo de 2010, disputou em maio, o Troféu Brasil, no qual saiu campeã da prova geral individual, a companheira de equipe Daniele Hypólito foi prata e a estreante Priscila Cobello, medalhista de bronze. Em agosto, na disputa do Nacional Brasileiro, em Vitória, conquistou três medalhas, sendo duas de ouro: por equipes, defendendo a equipe do Flamengo, somou 165,700 pontos e encerrou campeã; no evento geral obteve nota suficiente apenas para a terceira colocação, em prova vencida pela companheira Daniele Hypólito; no salto sobre a mesa, conquistou o ouro após pontuar 14,675 pontos.

Após dois anos afastada da seleção principal brasileira, retornou as competições internacionais no Mundial de Roterdã, realizado nos Países Baixos. Nele, conquistou durante a fase de qualificação, a vaga em duas finais individuais, o concurso geral e o salto sobre a mesa. Coletivamente, terminou na décima colocação. Em sua primeira final, obteve um somatório geral de 55,655 pontos e encerrou na 15ª posição. A campeã da prova foi a russa Aliya Mustafina, com um total de 61,032 pontos.

Adiante, na disputa do salto, somou 14,799 pontos na média dos dois saltos e encerrou superada pela norte-americana Alicia Sacramone e pela russa Mustafina, com a medalha de bronze. Em dezembro, pelas conquistas atingidas, a ginasta foi premiada pela primeira vez em sua carreira, com o Prêmio Brasil Olímpico, como melhor ginasta artística do país.

Abrindo o calendário competitivo de 2011, disputou na capital russa, a etapa de Copa do Mundo. Nela, competiu apenas no salto sobre a mesa, no qual encerrou medalhista de bronze, em prova vencida pela alemã Oksana Chusovitina. Na competição seguinte, o Nacional Brasileiro, realizado em Guarulhos, encerrou campeã nas provas por equipes, solo e salto, segunda colocada no geral individual e medalhista de bronze na trave.

Em meados do ano seguinte, por discordar dos termos de uso de uniformes e das marcas dos patrocinadores da seleção de ginastas do Brasil, foi excluída da delegação que disputaria os Ginástica nos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres.

Em fevereiro de 2017,foi confirmada como participante do reality Dancing Brasil exibido pela RecordTV

Temas de Palestras

- Esportes
- Liderança
- Motivação
- Presença Vip
- Cases de Sucesso
- Superação de Desafios / Mudanças
- Trabalho em Equipe / Disciplina