Mara Gabrilli

TEMAS


Mara Gabrilli



Mara Gabrilli nao se intimida diante de desafios. A vida lhe impôs muitos, outros ela foi buscar.

''Gosto de transformar'', afirma a deputada federal, publicitária, psicóloga, colunista de revista, empreendedora social, ex-secretária municipal e ex-vereadora, que ficou tetraplégica em 1994 por causa de um acidente que quase lhe custou a vida.

Passou cinco meses internada – dois em respirador artificial – e recebeu uma nova condição: a impossibilidade de se mexer do pescoço para baixo.

Quando os médicos lhe disseram que ela tinha 1% de chance de voltar a se movimentar, ela disse: ''Um não é zero. Tenho muito trabalho a fazer!''

Fundou, em 1997, a organização não-governamental Instituto Mara Gabrilli com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos brasileiros que têm uma deficiência.

O IMG promove projetos esportivos e culturais, pesquisas para cura de paralisias e o Desenho Universal.

Destaque para o projeto Cadê Você?, que localiza pessoas com deficiência em comunidades carentes e fornece atendimento com equipe multidisciplinar.

No âmbito político, Mara vem desenvolvendo dezenas de projetos em infraestrutura e mobilidade urbana, educação, saúde, transporte, cultura, trabalho, entre outros, que trouxeram mudanças fundamentais para as pessoas com deficiência, mas que, no fim das contas, beneficiaram a toda população.

''Uma cidade melhor para quem é cego, idoso ou cadeirante, fica melhor para todos. Além disso, somos consumidores potenciais.''

A rica experiência de vida e toda a energia com que Mara Gabrilli vem superando diversas barreiras contagiam e motivam o público, em palestra que aborda os aspectos potenciais da convivência com a diversidade humana em diversos contextos, como empregabilidade, mobilidade urbana, acessibilidade, educação, esportes, saúde, qualidade de vida, cultura, lazer e turismo.

Mara ainda esclarece os aspectos envolvidos na preparação de empresas, organizações, centros de ensino e serviços públicos para atender as novas legislações sobre acessibilidade e inclusão social.

Desde 2004, por força do Decreto Federal 5.296, todas as cidades brasileiras, com seus serviços e estabelecimentos, devem se adequar às normas de acessibilidade.

Além disto, a Lei de Cotas (Lei 8.213 de 1991) estabelece a obrigatoriedade de contratação, para empresas com mais de 100 funcionários, de colaboradores com deficiência em seus quadros de funcionários.

As palestras duram cerca de 50 minutos, mais 30 minutos para questões do público.

O objetivo é levar à reflexão e provocar a atitude das pessoas diante de desafios e frustrações que surgem no cotidiano - como complicações no trabalho ou de relacionamento - assim como ampliar a visão sobre o mundo e combater preconceitos, valorizando o potencial humano.

Tipos de trabalhos

- Educação / Educadores
- Esportes
- Saúde
- Qualidade de Vida
- Cultura
- Superação de Desafios / Mudanças
- Psicólogos