Andre Azevedo

TEMAS


Andre Azevedo



Engenheiro de formação, o Joseense André Azevedo deixou a paixão pela velocidade falar mais alto quando, em 1988, foi um dos primeiros brasileiros a competir no Rally Dakar. A partir daí, seu nome entrou definitivamente para a história do off road mundial.

Em janeiro de 2012 o piloto completou a sua 25ª participação na maior prova off road do planeta, conquistando a melhor posição brasileira: o oitavo lugar.

Iniciou sua carreira na categoria Motos, chegou a ser navegador no Rally dos Sertões, conquistando duas vitórias entre os Carros. Atualmente é o piloto do caminhão da Equipe Brasil Dakar e venceu três vezes também o Sertões.

André Azevedo é tido hoje como referência no esporte off road nacional, por conta de seus excelentes resultados em competições e pioneirismo no esporte.

Também é diretor da Brasil Dakar Competições, gerenciando todos os processos que viabilizam as participações da Equipe Brasil Dakar nas provas brasileiras e internacionais.

História

Tudo começou em 1988, quando dois pilotos de enduro resolveram participar do maior rali do mundo, o Dakar. Na época, André Azevedo e Klever Kolberg foram considerados loucos, pois foram os primeiros brasileiros a participar deste Rali.

"No final dos anos 80 não havia internet e nem sequer informações da prova como se tem hoje. Além disso, não tínhamos muitos patrocinadores que pudessem bancar a nossa aventura. Muitos amigos só nos levaram a sério no dia em que embarcamos para a Europa", explica André.

O Rally Dakar tem, em média, 10.000 quilômetros de percurso e tradicionalmente se inicia na Europa e acaba no continente africano. Mesmo não terminando a prova em sua primeira participação, os pilotos não desistiram.

Finalmente, em 1990, em sua terceira participação, André Azevedo completou o rali.

E com um grande feito: além ter sido o primeiro sul-americano a chegar ao pódio do Dakar, conquistou o vice-campeonato na categoria Motos até 600cc. Um dado importante: em 1990, das 136 motocicletas que largaram, apenas 46 completaram todo o percurso.

Em sua quarta participação (1991), com um pouco mais de estrutura de apoio, André tornou-se o primeiro piloto não-europeu a ganhar uma categoria no Dakar, a Motos Maratona.

Para se ter uma idéia do sucesso conquistado, o resultado adquirido era imaginado para ser alcançado em 10 anos de participação.

Após esta vitória, os pilotos colocaram como meta competir também na categoria Carros, participação até então inédita do Brasil.

Em 1997, a Equipe Brasil Dakar estreou nas quatro rodas e conquistou uma boa dobradinha entre as motos: pódio da categoria Motos Produção, com o piloto Jean Azevedo, na primeira colocação e André Azevedo, na segunda. Foi uma despedida em grande estilo, pois esta foi a última participação de André nas Motos após 10 edições do Dakar.

Com o objetivo atingido, a Equipe colocou uma outra meta, mais pesada desta vez, que era competir na categoria Caminhões. Finalmente, em 1999, André Azevedo estréia nessa categoria.

E, para completar o trio do Caminhão que contava com a presença do navegador tcheco Tomas Tomecek, a Equipe ganhou a colaboração da jornalista Leilane Neubarth, da Rede Globo. Com isso, Leilane foi a primeira brasileira a participar do Dakar.

No final daquela prova, nossos competidores voltaram ao Brasil com o troféu de terceiro lugar entre todos os caminhões inscritos. Neste ano a Equipe foi pioneira mundialmente, pois disputou o Dakar nas três categorias: moto, carro e caminhão.

Este é o formato até os dias de hoje, e a Equipe atualmente participa das principais competições brasileiras, como o Rali dos Sertões, a maior prova off road das Américas.

Os resultados conquistados - 22 pódios no Rali Dakar sendo 11 em primeiro lugar - e a credibilidade adquirida em todos esses anos, proporciona que ainda mais brasileiros tenham a oportunidade de concretizar o sonho de participar do maior rali do mundo.

Tipos de Trabalho:

- Liderança
- Motivação
- Superação de Desafios
- Trabalho em Equipe
- Esportes
- Esportes - Automobilismo

AT 09-08