Paulo Barros

TEMAS


Paulo Barros



Paulo Roberto Barros Braga, mais conhecido como Paulo Barros, é um carnavalesco, revolucionou o carnaval ao realizar desfiles inovadores na escola de samba Unidos da Tijuca.

Após a sua saída da Mocidade Independente de Padre Miguel, agremiação que defendeu no carnaval de 2015, e cujo compromisso durou apenas um ano, foi anunciado como novo carnavalesco da Portela, que lutava para encerrar um jejum de títulos desde 1984 quando dividiu com a Mangueira o campeonato. Com Barros, a escola se sagrou vitoriosa em 2017. Após o carnaval, anunciou sua ida para a Vila Isabel, seguindo para Unidos do Viradouro no ano posterior. Após a passagem pela vermelha e branco de Niterói, onde conquistou o histórico vice-campeonato para uma escola oriunda do acesso, acabou por deixar a agremiação visto que a mesma não concordou em dividir Barros com a Gaviões da Fiel para o carnaval de 2020, ocasionando em seu retorno a Unidos da Tijuca por onde teve a sua última passagem com campeonato em 2014.

Começou na Vizinha Faladeira onde ficou por dois anos, depois passou pela Arranco onde ficou por seis anos, em 2003 foi para o Paraíso do Tuiuti, mas no ano seguinte em que despontou como grande carnavalesco, quando esteve na Unidos da Tijuca, no período de 2004 a 2006, quando trouxe o carro DNA entre outros, Paulo, também teve uma pequena participação na Estácio de Sá, em 2006, onde junto com outros carnavalescos ganhou seu primeiro título com a reedição do enredo Quem é você? Pelo Grupo de Acesso A. Após isso esteve por três anos na Viradouro, onde no primeiro ano levou a bateria em cima de um carro alegórico. Em 2008 causou polêmica com o Carro do Holocausto, que foi proibido pela justiça de desfilar na Marquês de Sapucaí e saiu devido a agremiação não ter mais interesse no seu trabalho. Em 2009, dividiu com Paulo Menezes o Carnaval da Renascer de Jacarepaguá onde surpreendeu com um desfile falando sobre os transporte, levando a Escola ao vice-campeonato do Grupo de Acesso A, e na Vila Isabel, onde junto com Alex Souza, mostrou a história do Theatro Municpal, sendo a escola aclamada como uma das favoritas ao título, porém, terminando em 4° lugar.

Em 2010, retornou Unidos da Tijuca, escola que o consagrou e assim conquistou o seu primeiro título no Grupo Especial do Rio de Janeiro, com um desfile marcante que veio a partir de uma ideia enviada a ele por meio de uma rede social, através de um menino de 15 anos. O grande destaque daquele desfile foi a comissão de frente que usou truques de mágica e também esteve na Renascer de Jacarepaguá, onde fez dessa vez, com Wagner Gonçalves.

Em 2011, apostou num enredo sobre o medo no cinema usando filmes, como: Harry Potter. Além da comissão de frente, arrancando cabeças e corpos, acabou sendo vice-campeão. Em 2012, Paulo fugiu de desfiles Hollywoodianos e apostou em enredos sobre homenagens, desta vez, sobre o centenário de Luiz Gonzaga, o rei do baião, e enfim foi bicampeão com a Unidos da Tijuca. Em 2013, ele apostou no enredo sobre a Alemanha no Brasil falando sobre a cerveja, mitos, o deus Thor e até mesmo os bonequinhos Playmobil, porém alguns carros quebraram durante o desfile e assim a Unidos da Tijuca terminou em 3° lugar.

Em 2014, sagrou-se tricampeão com a Unidos da Tijuca em um enredo que homenageou Ayrton Senna e a velocidade, com personagens e pessoas a ver com o tema, como: o velocista Usain Bolt, além da Corrida Maluca, Ligeirinho, entre outro. Depois do carnaval especulou-se sua ida a Mocidade, aonde veio a acertar com a escola para o carnaval de 2015 com um enredo sobre o fim do mundo.

Em 2015, acabou ficando na 7° posição, não correspondendo às expectativas de que era antes e se desligou da Mocidade da acertar com a Portela.

Na Majestade do Samba, assinou o enredo "No voo da águia, uma viagem sem fim...", ficando com a 3° posição, empatando com a Unidos da Tijuca, com 269,7, que ficou em 2°, e a um décimo da campeã Mangueira.

No dia 12 de fevereiro de 2016 renovou o seu contrato com a azul e branco de Oswaldo Cruz e Madureira. Em 1 de Março de 2017, se consagrou campeão do Carnaval de 2017.

Em 6 de março de 2017, tornou pública a sua saída da Portela, afirmando que "realizou um sonho de criança" ao atuar na agremiação de Madureira. Posteriormente anunciou sua ida a Vila Isabel, onde apresentou o enredo Corra que o futuro vem aí, com o qual alcançou um modesto 8° lugar. Após o carnaval de 2018 terminou por sair da escola e assinou seu retorno a Unidos do Viradouro, que voltou ao Grupo Especial após ser campeã da Serie A em 2018. No mesmo foi enredo da tradicional Vizinha Faladeira, que disputou a Série B, escola em que Barros realizou seu primeiro carnaval. O enredo foi "O Marquês numa viagem pioneira, vê nascer um rei na Vizinha Faladeira. Paulo Barros, o DNA do carnaval" e rende à escola um 4° lugar.

Em 2018, Paulo Barros fez parte da Comissão de Artes do Boi Bumba Caprichoso pro 53° Festival de Parintins, ocupando também o posto de diretor de efeitos do Boi.

No carnaval de 2019 apresentou na Unidos do Viradouro, o enredo Viraviradouro. Com um desfile impecável sobre o universo encantado das histórias infantis a escola conseguiu um inédito vice-campeonato, com o qual também fez história no carnaval carioca com a melhor colocação de uma escola recém-chegada da Série A, superando a Unidos da Tijuca e seu 5° lugar em 2000.

Saiu da escola de samba de Niterói, devido agremiação não querer dividir o carnaval com a Gaviões da Fiel, em que havia sido contratado, retornando a velha casa Unidos da Tijuca, por esta não exigir exclusividade.

Temas de Palestras:

- Cultura
- Motivação
- Criatividade e Inovação
- Liderança
- Trabalho em Equipe / Disciplina
- Superação de Desafios / Mudanças

AT 10-09