Minha lista do que não fazer em 2020.




Minha lista do que não fazer em 2020.

1. Não faça networking só quando precisa de um emprego

A nossa rede de contatos deve ser sempre, e acima de tudo, autêntica. O principal objetivo de conhecer mais pessoas, na minha opinião, é agregar conhecimento e experiências profissionais e de vida uns aos outros. No entanto, vejo muita gente mandando e-mail e InMail para ex-colegas de trabalho que não vê há anos para pedir ajuda com uma oportunidade de cargo. Ou então, fazendo conexões no LinkedIn com pessoas de quem nunca ouviu falar e com quem não possui nenhuma afinidade só para ampliar seu suposto grupo de influência. Networking não é isso.

É, sim, criar relações genuínas e de importância mútua, nutridas a qualquer tempo, e não apenas quando se tem um interesse pontual. Adicione às suas conexões só pessoas que fazem sentido para as suas atividades, ou pelas quais você tem curiosidade em saber mais a respeito. Cultive essas amizades e busque agregar conhecimento durante toda sua vida profissional.

2. Não confunda “ser autêntico” com licença para ser desrespeitoso

Não crie um personagem para si mesmo, deixe de lado “corporativês” e expresse quem realmente é, no ambiente de trabalho e nas redes sociais.

Mas não confunda isso com ser desrespeitoso. Algumas pessoas, com a desculpa de “ser quem são”, podem ir contra protocolos e valores da empresa em que trabalham. Por exemplo, no jeito de tratar colegas de trabalho. Se chamamos nossos amigos pessoais por apelidos ou palavrões, isso não quer dizer que devemos fazer o mesmo no escritório. Aqui também estão inclusas as discussões sobre temas polêmicos, que geram uma polarização dentro do time. São atitudes desrespeitosas que podem causar mal-estar, a ponto de impactar na produtividade da equipe e o clima de trabalho.

Entenda qual é a cultura da empresa, os valores e as regras. Cumprimos um papel no trabalho, assim como cumprimos na família ou no nosso círculo de amizades. Seja você mesmo – e lembre-se de respeitar o ambiente que o cerca.

3. Não fique apenas online

Há mais no mundo lá fora do que mostram as redes sociais. As conexões que você fez por meio do seu networking também podem – e devem – ser feitas e alimentadas no mundo real, conhecendo as pessoas que adicionou no LinkedIn, por exemplo. Sempre participo de eventos de inovação, carreira, futuro do trabalho, onde constato que, de fato, nada substitui encontrar as pessoas, o olho no olho, com aperto de mãos e conversas mais profundas. A integração entre o mundo online e o offline é fundamental para construir uma rede de relacionamentos sólida.

4. Não dê opiniões sem embasamento

Em tempos em que repassar notícias falsas se tornou comum, é preciso ter cuidado com o que se diz por aí. Precisamos estudar minimamente os assuntos que replicamos ou sobre os quais nos posicionamos publicamente antes de bancar um ponto de vista.

5. Não estacione suas habilidades

Há uma grande diferença entre desenvolvimento de carreira e a conquista de uma nova oportunidade. O primeiro está relacionado à expansão das suas habilidades interpessoais e soft skills, ou seja, aquelas ligadas à sua forma de se relacionar com outras pessoas e as que podem ser mensuradas por certificados e diplomas. Por outro lado, pode ser que, ao assumir um novo papel, a pessoa não esteja habilitada para lidar com as novas responsabilidades.

A carreira é uma construção de uma vida inteira. Esteja preparado para o próximo passo da sua vida, seja ele qual for.