Pedro Parente

Pedro Parente

Pedro Parente

TEMAS


Pedro Parente



Em 19 de maio de 2016 foi indicado pelo Governo Michel Temer ao cargo de presidente da Petrobras. Seu nome foi submetido – e aprovado, pelo Conselho de Administração da empresa, requisito essencial para assumir o cargo.

Pedro Parente, foi Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Ministro chefe da Casa Civil da Presidência da República e Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, no Governo Fernando Henrique Cardoso.

Funcionário de carreira do Banco Central do Brasil, trabalhou de 1992 a 1994 no Fundo Monetário Internacional (Departamento de Assuntos Fiscais).

Secretário Nacional de Planejamento do Ministério da Economia, Fazenda e Planejamento, no período de maio de 1991 até outubro de 1992.
Presidente do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) entre 1990 e 1991.

Secretário de Orçamento e Finanças da Secretaria de Planejamento da Presidência da República, responsável pela elaboração do Orçamento do Governo Federal (de 1989 a 1990).

Secretário-adjunto do Tesouro Nacional (onde também foi secretário de Informática e de Programação Financeira), de 1987 a 1988.

Secretário Geral Adjunto do Ministério da Fazenda (1985/86).

Chefe da Divisão de Programação, Análise e Orçamento, da Divisão de Planejamento, Normas e Controle e da Divisão de Execução Contábil, Financeira e Orçamentária do Departamento de Administração Financeira do Banco Central do Brasil (entre 1979 e 1985).

Formado em Engenharia Eletrônica pela Universidade de Brasília (1976), tem cursos de Especialização em Controle e Auditoria na Fundação Getúlio Vargas (1982) e de Auditoria de Sistemas Contábeis e Utilização de Processamento Eletrônico de Dados (1979, junto a Boucinhas & Campos Consultores S/C). Ingressou por concurso público no Banco do Brasil em 1971 e depois no Banco Central do Brasil (1973).

Em razão dos cargos e empregos ocupados, passou a deter grande experiência em organização de finanças públicas.

Foi membro do quadro de consultores externos do Fundo Monetário Internacional, participando do projeto conjunto FMI/PNUD de assistência técnica ao Governo de Angola, com missões na Venezuela, Portugal e Rússia.

Foi consultor da Secretaria de Economia e Finanças do Estado de São Paulo (1988 a 1992) e consultor da Secretaria de Fazenda do Estado de Minas Gerais (1988).

Coordenou a comissão do Ministério da Fazenda encarregada de propor medidas para a transferência da administração da dívida pública mobiliária e participou da elaboração do primeiro Orçamento das Operações Oficiais de Crédito, prestando ainda assessoria à Comissão do Sistema Tributário, Orçamentário e Financeiro da Assembléia Constituinte (1987).

Coordenou o desenvolvimento e a implantação do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), em 1986.

Temas das Palestras

- Diferenças entre Gestões Públicas e Privadas
- Profissionalização de Empresas Familiares
- A Nova Economia
- Conjuntura Nacional
- Macroeconomia e Tendências
- Finanças Públicas
- Gestão: Pública X Privada
- Navegar em Mar Revolto